cachoeiraCaverna

Caverna

cavernas de Monte alegre

Dentre as inúmeras cavernas que não apresentam o registro de pinturas polícromas, destacam-se as do Labirinto e Miritiepé, localizadas na serra do Paituna, a cerca de 40 km por via rodoviária. A gruta do Labirinto às proximidades da serra do Pilão sendo formada por um verdadeiro complexo de grutas ou cavernas.Possui 90 m de extensão e há várias entradas e salões, além de informações sobre fauna e flora, locais.
Outro ponto que merece destaque, por sua beleza e mistério, é o piso superior da Caverna do Labirinto, que apresenta um belo portal, a cerca de 30 m, na encosta da serra, bem como um exótico salão, com meio teto iluminado por uma tênue luz azulada. Os visitantes mais arrojados, e dispondo de equipamento especial, podem atingir o topo da serra a partir da entrada existente na base, através de caminhos escuros e Labirintosos, percorrendo mais de 100 m pelo interior da serra do Paituna.

Caverna da Pedra Pintada
É o mais importante "atrativo histórico-cultural" já identificado na região, a Caverna da Pedra Pintada vem sendo objeto de estudo de inúmeros pesquisadores brasileiros e estrangeiros, os quais sempre procuram enfocar o registro, a localização e a descrição das pinturas rupestres, na gruta. A Caverna possui cerca de 120 m de altura em relação ao rio Amazonas. É bastante fresca e ventilada, bem iluminada, com acesso fácil, através de um ramal de estrada que leva diretamente à entrada principal. Em suas paredes há painéis com pinturas rupestres. A partir de 1991, a gruta foi alvo de estudos específicos através da antropóloga norte-americana Dra. ANNA ROOSEVELT, que realizou escavações estratigráficas e estudos arqueobiológicos, complementados por datações radiocarbônicas. Esses trabalhos permitiram, à pesquisadora, documentar as principais fases ocupacionais hipotéticas para a região, possibilitando um melhor entendimento da evolução das culturas que ali se desenvolveram, desde a chegada dos primeiros habitantes até aos dias atuais. Os trabalhos realizados por Anna Roosevelt na Gruta da Pedra Pintada, representam a primeira informação, cientificamente comprovada, sobre a presença de Paleoíndios na região amazônica, indicando uma associação dos mesmos com a arte rupestre; mostram, também, as similaridades entre esses sítios Paleoíndios e outros já estudados em diferentes lugares, nas Américas. Os resultados desses trabalhos sugerem que as pinturas rupestres de M. Alegre podem representar "algumas das mais antigas já identificadas no Novo Mundo e parte do estágio Paleolítico da arte rupestre". Assim, em M. Alegre estão documentadas as melhores evidências acerca dos povos mais antigos que habitaram a região, provavelmente no final do Pleistoceno e início do Holoceno (épocas geológicas que compõem o Período Quartenário): os Paleoíndios Amazônicos.

Caverna do Miritiepé
Situa-se no flanco noroeste da serra do Paituna. Essa caverna foi, igualmente objeto de estudos por parte do GET, à semelhança da caverna descrita anteriormente.

Caverna Itatupaóca
Em 1991, ROOSEVELT publicou os primeiros resultados de suas pesquisas antropológicas na região de M. Alegre onde estudou a caverna realizando alguns testes como auxílio de um trado, visando a detecção de remanescentes pré-históricos, para identificação e posterior datação. Todavia, foram recuperados apenas alguns fragmentos de cerâmica recentes e alguns desenhos pintados e parcialmente recobertos por vegetação. Outro importante atrativo na serra do Ererê é a Pedra do Mirante.