No município de M. Alegre há dezenas de cachoeiras na bacia do Maecuru, em áreas de difícil acesso, sem ligação por via rodoviária. As cachoeiras Muira e Pancada Grande, localizadas no baixo-médio curso, podem ser acessadas com relativa facilidade por vias fluvial e terrestre. Na região da serra do Itauajuri há duas cachoeiras bastante conhecidas na região, com acesso relativamente fácil, que são as cachoeiras do Açu das Pedras e do Igarapé Anai. A mais conhecida cachoeira de toda a região é a cachoeira do Paraíso, localizada no vale homônimo, podendo ser considerada como "produto ecoturístico", uma vez que o local já dispõe de uma incipiente infra-estrutura, sendo visitado todos os anos por inúmeros turistas brasileiros e estrangeiros.

Cachoeira do Paraíso

O Vale do Paraíso está localizado na porção centro-oeste do município de M. Alegre. Pertence à bacia do igarapé Ambrosinho que deságua no rio Maecuru. Mesmo pertencendo geograficamente a M. Alegre, o vale do Paraíso recebe toda infra-estrutura turística a partir da cidade de Alenquer - cidade vizinha. A partir de Alenquer, o vale é alcançado após um percurso aproximado de 60 km, sendo 50 km através das rodovias PA-427 e PA-254, complementados por mais 10 km através de um ramal que parte da PA 254 no rumo norte. A partir de M. Alegre, o deslocamento até o vale do Paraíso é de 115 km.
A época mais propícia à visitação, segundo informações do proprietário, vai de Dezembro a Setembro. Para facilitar o serviço de reservas, existe um escritório instalado em Alenquer, no seguinte endereço: Av. Getúlio Vargas n° 490/Fax (093) 526-1284; Alenquer - Pará - Brasil.
Na região do vale do Paraíso há inúmeras cachoeiras, destacando-se, entre outras, as cachoeiras Véu de Noiva, Preciosa e Paraíso. A cachoeira do Paraíso é esculpida em rochas sedimentares de formação Maecuru, do período Paleozíoco da bacia sedimentar do Amazonas, representadas por arenitos finos, micáceos, com intercalações de siltitos. Possui uma queda d'água com 8 m de altura, escalonada em vários degraus, terminando em um "porção" no próprio leito do igarapé. Além da indivisível beleza cênica, o local pode ser desfrutado por banhos diferenciados, nos "chuveiros" naturais da cachoeira, ou nas águas límpidas e calmas do igarapé Ambrosinho. Merece também destaque a vegetação exuberante, típica da Floresta Densa de Terra Firme.

Cachoeira do Setor 02

 

 

 

 

Cachoeira do Setor 12

 

 

 

 

 

Cachoeira das Pedras

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Copyright ©2010
Pedro Henrique C. da Silva
Todos os direitos reservados