Os sítios arqueológicos de Monte Alegre estão dentro de um Parque Estadual, criado em novembro de 2001. Mas, até hoje, não foi publicado o edital para a elaboração do plano de manejo da área, ou seja, nenhuma medida de controle ou estudos detalhados foram realizados.
     De acordo com os relatos históricos, as primeiras informações sobre a existência de arte rupestre na região de Monte Alegre, foram registradas no início do século XIX, pelos pesquisadores alemães Carlos Frederico Felipe de Martius (botânico) e Hohann Baptist Von Spix (zoólogo), que empreenderam uma viagem de estudos pelo Brasil, de 1817 a 1820.
     Em 1871, C. F. Hartt, outro pesquisador alemão, desenvolveu estudos na região de Monte Alegre, reportando-se às pinturas rupestres da serra da Lua. Em 1889, A R. Wallace publicou um trabalho contendo descrições das serras e grutas da região, fazendo referências às pinturas rupestres. Orvile Derby, em 1898, descreveu a serra do Aroxi, assinalando a exalação de gases quentes a partir de uma cavidade localizada na encosta da mesma, o que foi ratificado bem mais tarde, em 1930, por Adolpho Ducke, que realizou pesquisas na Amazônia entre 1919 e 1928. As pinturas rupestres localizadas na gruta de Itatupaoca (serra do Ererê) foram assinaladas por Katzer em 1933 (in SILVEIRA et al, 1984).
     Mais recentemente, nas duas últimas décadas, a região vem sendo objeto de estudos específicos, o que constitui uma notável contribuição científica, notadamente nos campos da espeleologia e da arqueologia amazônicas.
     As áreas que contêm os sítios arqueológicos estão relacionadas a uma das mais proeminentes estruturas geológicas da bacia sedimentar do Médio-Baixo Amazonas denominada Domo de Monte Alegre, localizado na porção centro-sul do município, a noroeste da sede municipal.
     O Domo de M. Alegre apresenta uma forma aproximadamente elíptica, com eixo maior de direção NE-SW e cerca de 30 km de extensão, e um eixo menor de extensão NW-SE, com 16 km. A porção central do Domo, conhecida como planície do Ererê, apresenta um relevo plano, coberto por vegetação tipo savana, circundada por um anel de serras onde estão situadas as grutas com pinturas rupestres.
     Os seis principais sítios arqueológicos identificados por M. CONSENS (1987), na região de M. Alegre, estão associados às serras do Ererê, Lua, Paituna e Aroxi, em distâncias que variam entre 12 a 15 km, em linha reta, cujo acesso é efetuado por via rodoviária através da PA-225, que dá acesso à colônia Agrícola Núcleo Inglês de Souza, complementando por estradas vincinais e ramais.
     Domo de M. Alegre: uma das mais proeminentes estruturas geológicas da bacia Sedimentar do Médio-Baixo Amazonas é constituído por rochas do Período Paleozóico, com idades estimadas entre 380 e 350 milhões de anos.
     Apresenta uma porção central com relevo plano onde se desenvolve uma vegetação do tipo savana (planície do Ererê), circundado por um anel de serras, onde estão localizadas as grutas com arte rupestre.

 

>> Mais Imagens das Pinturas Rupestres você encontra neste link

 

 

Ver mais Imagens

 

 

 

 

 

 

 

 

Copyright ©2010
Pedro Henrique C. da Silva
Todos os direitos reservados